Publicado em: 06/05/2022 10:20

A Secretaria de Saúde de Campina Grande ampliou na manhã de ontem quinta-feira (5) a campanha de vacinação contra Influenza para todos os grupos prioritários.

O público-alvo agora inclui professores, caminhoneiros, trabalhadores de transporte público coletivo, aeroportuários, profissionais das forças de segurança e população privada de liberdade, além dos grupos contemplados anteriormente (profissionais de saúde, idosos, gestantes e puérperas, pessoas como comorbidades e deficiência e crianças de seis meses a menores de cinco anos).

Para ter acesso à vacinação, é necessário apresentar um documento de identificação pessoal e, no caso dos trabalhadores de algum dos grupos, é obrigatório apresentar comprovante de exercício da atividade.

Para pessoas com deficiência e comorbidades, também é necessário apresentar laudo comprobatório da condição de saúde. São consideradas comorbidades doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas e neurológicas, diabetes, imunossuprimidos, obesos, transplantados e portadores de trissomias, como a Síndrome de Down.

Onde se vacinar

A vacinação acontece nas Unidades Básicas de Saúde, no Terminal de Integração e no ginásio Meninão. Para as pessoas com deficiência, haverá pontos de vacinação também em instituições como o Centro Especializado em Reabilitação (CER), a APAE e o Instituto dos Cegos.

Para as gestantes e puérperas há também a maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) pela manhã. Para os trabalhadores do transporte coletivo e das forças de segurança, serão promovidos dias específicos de vacinação nos próprios serviços.

A vacina da Influenza protege contra os dois tipos de Influenza A (H1N1 e H3N2) e um tipo de Influenza B (Victoria). Mesmo as pessoas que já se vacinaram em anos anteriores devem se imunizar para receberem a proteção contra as novas cepas do vírus.

Até o momento, em Campina Grande vacinou 16.186 idosos, 4.231 profissionais de saúde e 438 crianças.

Como também está acontecendo a campanha de vacinação da Covid-19, a Secretaria de Saúde esclarece que não há a necessidade de estabelecer um intervalo entre a aplicação da vacina da Influenza e a da Covid-19.

Redação com Polêmica Paraíba