Livro-bomba de Eduardo Cunha: Tchau Querida – O Diário do Impeachment

Publicado em: 22/01/2021 23:43

A história é implacável contra a mentira. Mais cedo, ou mais tarde, a verdade sempre virá à tona. Mesmo que seja a conta-gotas.

O golpe parlamentar perpetrado contra a ex-presidente Dilma, por exemplo, já começa a ser desnudado aos poucos, seja através de livros, depoimentos e entrevistas.

Poucos duvidam de que houve uma trama urdida contra a ex-presidente brasileira.

A gota mais ácida sobre a mentira por trás do golpe virá na forma de um livro prestes a ser lançado, que é nitroglicerina pura e, segundo dizem, traz a participação de figuras importantes da Paraíba: “Tchau Querida, o Diário do Impeachment”, de autoria do ex-deputado Eduardo Cunha, que foi o todo-poderoso presidente da Câmara Federal à época do impeachment.

Tchau Querida… é um calhamaço de 740 páginas, que está no prelo com promessa de chegar às livrarias brasileiras em abril. Condenado a 14 anos e meio de prisão, Eduardo Cunha detalha como tudo aconteceu, a partir de uma trama que, segundo ele, teria sido tramada no apartamento do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, com o apoio do PSDB.

Detalhe: o primeiro pedido de impeachment partiu do ilustre desconhecido de então, o deputado do baixo clero e hoje presidente da República, Jair Bolsonaro.

Conversando com uma pessoa de muito trânsito na política de Brasília, o colunista indagou se havia participação de paraibanos na trama. “Vários, alguns de forma vergonhosa”, respondeu o interlocutor com base no que circula nos bastidores do Congresso.

 

Redação com PBAgora